[Disney+] O streaming pode ter um novo "game changer"?

Nos últimos dias o mundo da indústria dos streamings foi marcado por vários anúncios realizados pela D23 em relação ao Disney+ (OTT da Disney que será lançado dia 12 de novembro no EUA). A plataforma, que será lançada, com o valor inicial de US$ 6,99 (aproximadamente R$ 30) no plano mensal ou US$ 69,99 (aproximadamente R$ 290), no plano anual. O valor é considerado bastante competitivo e disputa com a Netflix, que custa, no EUA, cerca de US$ 13 (R$ 54 em conversão direta). Ainda não se sabe ao certo quando o serviço estará disponível no Brasil e qual será seu real valor.

Todavia entre os anúncios o que mais chamou atenção foi o fato da Disney+ falar que seguirá a prática, televisiva, de episódios semanais. Essa é uma mudança estrutural bem interessante, vide que a Netflix começou a ganhar força na entrega do seu conteúdo (especialmente em 2013 através da série House Of Cards) pela prática do chamado binge watching. Tal formato consiste na entrega do conteúdo completo da temporada no seu lançamento. Essa prática que foi considerada uma quebra de paradigma no formato televisivo, um verdadeiro game changer, na forma que o conteúdo era produzido. Algumas séries começaram a ser produzidas com esse foco, tendo muitas vezes, viradas narrativas não mais em minutos específicos de episódios (o clássico gancho ao fim do episódio), mas passando a ter ganchos em capítulos específicos, considerados pontos fundamentais da temporada. Esse formato inovador proposto pela Netflix, foi seguido à risca pela Amazon Prime, que ainda segue nesse formato.

Agora a Disney+ anunciou que seguirá o formato clássico televisivo de episódios semanais. Parece evidente a estratégia da companhia em trazer um buzz das redes sociais, apostando no boca à boca entre episódios. Tal formato também é considerado bastante engajador vide o sucesso de Game Of Thrones, onde a HBO trabalhou dessa forma durante todas às temporadas, conseguindo a cada final de domingo o trending topics nas principais redes globais. A grande questão: ao apostar nesse tipo de formato a Disney+ desenha uma nova mudança estrutural que pode ser um novo game changing para a indústria? Isso forçaria a Amazon ou a Netflix a reverem seus formatos? São perguntas que serão melhor respondidas a partir do primeiro semestre de 2020.

Postagens relacionadas